Clube

Primeiro decacampeão do mundo, o América Futebol Clube, fundado em 30 de abril de 1912 é, sem dúvida, um dos mais tradicionais clubes de Minas Gerais e do Brasil. Em sua rica trajetória centenária, a história do América se confunde com a de Belo Horizonte. Seu primeiro estádio (também o primeiro campo gramado e com arquibancadas cobertas em Minas), se localizava onde hoje se encontra o Mercado Central. No bairro de Santa Efigênia, onde hoje existe um supermercado, o Coelho teve o inesquecível Estádio Otacílio Negrão de Lima, mais conhecido como Alameda. Nos dias de hoje, a casa americana é o Estádio Independência, motivo de orgulho de toda torcida.

Com glórias também no chamado esporte especializado – destaque para o octacampeonato mineiro de basquete – o Coelho alcançou suas maiores conquistas no futebol que carrega no nome. Nacionalmente, o América venceu por duas vezes o Campeonato Brasileiro da Série B, em 1997 e 2017, além de ter faturado um Brasileiro da Série C, em 2009. O time americano ainda levantou a taça da Copa Sul-Minas, em 2000, na primeira edição do torneio interestadual que reuniu grandes equipes do Brasil.

Dono de uma das camisas mais bonitas do futebol mundial, o América brilha com suas três cores: o branco, o verde e o preto. Destaque para a camisa verde e preta, lançada na década de 1970 e reverenciada por sua beleza ú,nica.

Pelos gramados de todo o mundo desfilaram atletas como Jair Bala, Juca Show, Cândido, Zuca, Petrônio, Gunga e Satyro, além das revelações da categoria de base, com destaque para Tostão, Eder Aleixo, Palhinha, Euller (o Filho do Vento), Gilberto Silva, Fred, Alessandro, Alex Mineiro, Wagner, além do japonês Yuji Nakazawa, que atuou pelo América entre 1996 e 1997 e depois se tornou herói da seleção de seu país. Recentemente, o Coelho ainda revelou nomes como Danilo, Richarlison, Matheusinho, entre tantos outros.

A equipe americana se destaca também pelo modelo de gestão diferente da maioria de outros Clubes, tendo à frente um Conselho de Administração formado por cinco integrantes, além do Conselho Consultivo, que contempla todos os presidentes e ex-presidentes vivos e ajuda a comandar o Clube e seu futuro. Fora de campo, o América é também conhecido pelo seu grande patrimônio, avaliado em mais de R$ 550 milhões. Assim caminha o América, o Coelhão das Minas Gerais, sempre crescendo e fazendo jus ao verso de seu hino ‘…tu és a gloria do esporte nacional’.

DIA DO AMERICANO

O torcedor do América também tem o seu dia. Através do Projeto de Lei n°, 1.707/08, a Câmara Municipal de Belo Horizonte instituiu o dia 30 de abril, data da fundação do Clube, como o ‘Dia do Torcedor do América Futebol Clube’, que já entrou para o calendário turístico da capital mineira.