América MG

Processos e suporte integral: sob cuidados, atletas do América chegam à reta final da temporada com alta performance física

Atletas do Coelho trabalhando a parte física em treino (Foto: Mourão Panda / América)

O América está muito próximo de sacramentar uma temporada inesquecível dentro de seus quase 110 anos de história. Disputando o Campeonato Brasileiro da Série A pela quinta vez no século XXI, o Coelho trabalhou arduamente para que o desfecho desta temporada seja diferente das disputas anteriores da primeira divisão. Os frutos estão próximos de serem colhidos e demonstram para todo o Brasil a harmonia de pensamento, ambição, determinação e trabalho de todos os envolvidos no projeto do América.

Falar do crescimento e fortalecimento do América Futebol Clube nos últimos anos é verificar uma evolução gradativa que proporcionou ao clube aumentar o número de participações na divisão de elite nacional. E, agora, duelar, cada vez mais, de igual para igual com outras grandes camisas do futebol brasileiro. Toda a Nação Americana e os fãs de um bom futebol pelo país puderam apreciar essa imposição americana na Copa do Brasil de 2020 e no atual Campeonato Brasileiro.

Os resultados recentes são fruto de muito suor dos jogadores que defendem o América, como também da diretoria e todos os departamentos de futebol do Clube. Nesta matéria, iniciaremos uma abordagem do que vem sendo o trabalho desta temporada, começando pelos departamentos ligados ao desempenho físico dos nossos jogadores.

O NÚCLEO DE PERFORMANCE

Como o próprio nome diz, o Núcleo de Performance do América tem como principal foco a potencialização do desempenho físico dos atletas, a prevenção e o tratamento eficaz de possíveis lesões. Ele é constituído pelos departamentos de preparação física, fisiologia e nutrição, além do Centro de Excelência em Saúde do Atleta – que abrange o departamento médico e a fisioterapia.

Leonardo Cupertino, coordenador do Núcleo de Performance, conta um pouco do que foi o planejamento do trabalho dos últimos meses para que o time conquistasse um ganho físico coletivo a um curto prazo.

“Na ocasião da minha chegada, no mês de junho, fizemos algumas reuniões para entender o que a diretoria gostaria para a sequência da temporada. Em seguida, conversamos individualmente com todos os chefes de departamento para intensificarmos a integração entre todas as áreas. Desde então, passamos a ter reuniões de duas a três vezes por semana, sempre pós-treino, para discutir a programação e os resultados da semana com toda a comissão técnica. Nesses momentos, discutíamos também as questões individuais dos atletas, as qualidades, as deficiências e a abordagem que seria tomada em busca da melhor performance dos jogadores”.

Léo Cupertino exalta a mentalidade dos atletas, que assimilaram os vários quesitos que seriam importantes para que, a cada dia, as métricas de performance individual fossem elevadas.

“Houve algumas mudanças e adequações em todos os departamentos, no sentido de reajustarmos a rotina diária dos atletas, as avaliações e a criação de procedimentos para fortalecimento e potencialização das qualidades de cada um, como também a correção de suas deficiências. Os atletas entenderam muito bem os aspectos almejados, como: a importância da duração de um pré-treino, da alimentação no Clube, da dieta individualizada – com uma contribuição muito grande do departamento de Nutrição -, do diagnóstico médico de deficiências e carências que pudéssemos atacar, juntamente com o departamento médico e fisioterápico, para que o atleta pudesse assimilar perfeitamente aquilo que fosse fundamental para um ganho de performance”.

O preparador físico também fez questão de citar o aproveitamento dos “gaps de semanas cheias”, que propiciaram que a preparação e fortalecimento fossem intensificados. Os resultados têm sido colhidos por todos, visto que o Coelho briga fortemente por uma das melhores campanhas do returno da Série A e apresenta uma performance muscular bastante satisfatória.

“É importante ressaltar as semanas “cheias” que tivemos, para que ganhássemos a possibilidade de readequar cargas de trabalhos físicos e técnicos que resultassem em ganho tático. Isso realmente causou um impacto muito positivo. Sabemos que de forma geral os atletas chegam ao fim de temporada com um stress físico e emocional muito grande, contudo hoje temos no América um DM praticamente “zerado”, excetuando-se, obviamente, alguns casos específicos e de maior longa data. Portanto, ficamos muito felizes por chegarmos a este fim de ano com praticamente todos os atletas à disposição do treinador para potencializar os resultados e atingir os objetivos dentro da temporada”.

Por fim, Cupertino credita a harmonia e a dedicação de todos os profissionais como os pontos primordiais para que os atletas e a comissão técnica trabalhassem com o melhor embasamento possível.

“O diferencial foi o conjunto, a unificação das informações, e todos os departamentos trabalhando muito próximos para que a todo momento ficássemos munidos de conteúdo e isso pudesse chegar à comissão técnica e à diretoria”.

– Em pé: Cristiano Salgado (fisioterapeuta), Felipe Penido (fisioterapeuta), João Salomão (médico), William Matos (preparador físico), Rodrigo Guimarães (fisiologista) e Leonardo Cupertino (preparador físico).
– Agachados: Laura Quadros (nutricionista), Jonas Neves (preparador físico) e Geraldo Carvalho (fisiologista).
(Foto: João Zebral / América)

Dentro do Núcleo de Performance, a equipe de preparação física do Coelho conta com Leonardo Cupertino, Jonas Neves e William Matos.


DEPARTAMENTO MÉDICO

O Centro de Excelência em Saúde do Atleta (CESA) compreende os departamentos médico e fisioterápico do Clube. Ele é dirigido pelo Dr. Cimar Eustáquio, há várias décadas envolvido na saúde dos atletas do América. Cimar também enaltece a integração entre os departamentos do futebol do Clube e valoriza a qualidade do trabalho desenvolvido neste ano.

“Realmente, o América vem tendo uma participação excepcional. De todo o tempo em que estamos à frente do Centro de Excelência em Saúde do Atleta, vemos um ótimo entendimento, ótimo atendimento e um sucesso total que conseguimos durante todo o ano. Foi um ano extremamente difícil, de uma forma geral, mas a interligação entre todos os departamentos do CESA, desde nossos massagistas até a diretoria médica, todos unidos, prestaram o melhor atendimento tanto no sentido de preparo dos atletas quanto do tratamento de lesões. Portanto, vem sendo um ano muito especial. Estamos muito satisfeitos com os resultados e pela recuperação recorde de todos os casos”.

Cimar Eustáquio destaca o baixo índice de lesões, mesmo em uma temporada muito intensa, e felicita todos os profissionais envolvidos no trabalho de preparação, prevenção e tratamento.

“Temos, realmente, um parâmetro de um DM bem vazio, no sentido de lesões. Estamos falando de um ano tão difícil, cansativo, com reflexos da Covid e a necessidade de exames seriados desde o ano passado. Então, acredito que é um resultado bastante positivo, sem lesões que possam comprometer drasticamente o desenvolvimento do elenco. Parabenizo a todos os profissionais por formarem departamentos bem postados, preparados cientificamente e do ponto de vista do atendimento. Temos uma interligação com todos os departamentos, comissão técnica, direção de futebol. Isso é extremamente importante. Ficamos felizes e esperamos continuar assim até o fim do campeonato”.

Médicos Celso Azevedo, Flávia Magalhães e Cimar Eustáquio no CT Lanna Drumond (Foto: Marina Almeida / América)

O C.E.S.A. do América é formado pelo diretor médico Cimar Eustáquio e os médicos Celso Azevedo, Flávia Magalhães, Leônidas Neto, João Salomão, Leandro Penna, Alexander Vete e Afonso Rangel.


FISIOTERAPIA

O departamento de fisioterapia do Coelho também teve um papel fundamental nos ótimos resultados que vem sendo conquistados pela equipe americana. Coordenado pelo fisioterapeuta Cristiano Salgado, o departamento precisou lidar com as mudanças drásticas dos calendários de 2020 e 2021, mas com planejamento e um trabalho enérgico, as adversidades foram superadas. Cristiano explica todo esse contexto.

“Realmente é um ano atípico, visto que devido às temporadas terem sido “emendadas”, o período de descanso de todo o grupo ficou um pouco comprometido. Foi uma novidade muito grande para o departamento de fisioterapia, mas ao mesmo tempo desafiador. Após reunir com toda minha equipe, traçamos algumas diretrizes internas com o intuito de “aumentar e potencializar” o tempo de recuperação do atleta através do investimento concedido pelo Clube em novos aparelhos. Além disso, no dia a dia, mostrando para os atletas a importância de um pré e pós treino bem feitos com o intuito preventivo de futuras lesões”.

O coordenador da fisioterapia também avalia os resultados obtidos, comparativamente com o que havia sido traçado no começo do ano, e comemora o alto patamar físico que os atletas alcançaram.

“A avaliação realmente é surpreendente! A entrega de todo o grupo de atletas e de toda a comissão foi fundamental para o ocorrido! Toda a proposta feita no início do ano pelos departamentos, em prol dos nossos atletas, foram bem absorvidas pelos mesmos e o resultado disso vem sendo mostrado no campeonato. Estamos a cinco rodadas para terminar a competição e temos nosso departamento sem nenhuma lesão muscular sequer. Ficamos felizes por vermos o grupo totalmente à disposição para disputar bem esta reta final”.

Cristiano Salgado também faz questão de enaltecer a integração entre os profissionais do Clube, destacando as tomadas de decisão sempre embasadas pelo olhar de cada um dos departamentos.

“A integração é de 100% entre todos departamentos. Conversamos diariamente entre nós, as informações são claras e sempre conjuntas para qualquer decisão. O trabalho de integração entre a fisioterapia e todos departamentos de saúde andam lado a lado e são sempre em prol do melhor resultado para o atleta e toda a instituição”.

O departamento de fisioterapia profissional é formado pelo coordenador Cristiano Salgado, Diego Carvalho, Felipe Marques e Felipe Penido.


FISIOLOGIA

Outro setor essencial para o bom desenvolvimento do Núcleo de Performance do Coelho é a Fisiologia. Responsável pelo mapeamento físico de cada atleta, monitoramento, acompanhamento estatístico e elaboração de preparação individualizada, a equipe de fisiologia pôde identificar as carências e as virtudes do elenco americano ao longo da disputa do Campeonato Brasileiro. O fisiologista Rodrigo Guimarães explica sobre a mensuração e ações feitas pelo departamento com base nesses dados.

“Desde a chegada de novos equipamentos para o Departamento de Fisiologia, temos buscado criar entre os atletas um engajamento acerca das necessidades da individualização das cargas de treino, controle de carga (interna e externa), prevenção de lesões, nutrição e todo o processo de recuperação dos atletas. Diante desse entendimento, conseguimos estabelecer através de reuniões periódicas (departamentos de Performance e Saúde), toda a rotina do atleta no dia a dia de treinos e jogos, o que tornou esse processo mais assertivo”.

Rodrigo também comenta os principais ganhos dos atletas americanos, destacando o aumento da intensidade física durante as partidas, graças a todas as ações de prevenção e preparação que foram feitas com o plantel buscando-se esse objetivo.

“Ao longo do Campeonato Brasileiro, a nossa equipe evoluiu muito principalmente em relação às ações em alta intensidade. Nós conseguimos avaliar, com os dados dos dispositivos GPS, números expressivos nas métricas que são as responsáveis por ações que definem o jogo, como: ações acima de 19,8 km/h, sprints (ações acima de 25,2 km/h), ações acima de 30 km/h, acelerações e desacelerações”.

O fisiologista avalia o que foi preponderante para que fosse possível ajustar as cargas de trabalho em prol do aumento de performance, visto que o calendário brasileiro interfere drasticamente nos ciclos de recuperação física dos atletas.

“Conseguimos esse feito com a participação coletiva de todos os departamentos do Clube. No intuito de possibilitar que o atleta consiga ter uma pronta recuperação, nós utilizamos toda a infraestrutura disponível no Clube, com a participação integrada dos departamento médico, fisioterápico e de nutrição, para garantir que nossos atletas estejam aptos para performar em altíssimo nível”.

A equipe de fisiologia conta com Rodrigo Guimarães e Geraldo Carvalho (Foto: Mourão Panda / América)