Gilberto Silva destaca importância do América: “Onde tudo começou”

  • Daniel Hott
  • 26/12/2017 13:01
Revelado pelo Coelho, pentacampeão ganhou o mundo, mas não se esquece das raízes (Foto: Daniel Hott / América)

Um garoto simples que saiu de Lagoa da Prata (MG) para conquistar o mundo com seu futebol. Este é Gilberto Silva, revelado pelo Coelho, que orgulha o Clube e a torcida americana com sua carreira internacional vitoriosa.

Gilberto chegou ao América ainda no juvenil e, desde então, já se destacava pela qualidade e segurança defensiva. Em 1996, foi campeão da Copa São Paulo Júnior e, um ano depois, conquistou o Campeonato Brasileiro da Série B. Até hoje, o pentacampeão mundial se lembra com carinho do início no Coelho.

“O América foi o ponto de partida de tudo de bom que aconteceu na minha carreira profissional. Grande parte de tudo isso aconteceu porque no América começou tudo. A cada lugar que fui, a cada camisa que vesti, sempre olhei para trás e soube que aqui houve um começo importante. Começar no América e conquistar um título importante logo na sequência, com tudo o que vivi dentro do Clube, foi muito especial”, revela o ex-jogador.

O volante deixou o Coelho em 2000, quando se transferiu para o Atlético-MG. De lá, seguiu para Arsenal (ING), clube pelo qual ganhou destaque internacional. Ao longo de seis anos, foram quase 250 jogos pelos Gunners e cinco títulos. A passagem pela Inglaterra repercute até os dias atuais. Neste ano, Gilberto Silva foi eleito pelo jornal The Telegraph como o melhor braseiro da história do futebol britânico.

Paralelamente ao sucesso no Arsenal, Gilberto Silva ganhou espaço na seleção brasileira. Em 2002, o atleta revelado pelo América chegou ao ponto máximo da carreira de um jogador, ao conquistar a Copa do Mundo. Ao todo, foram 93 partidas com a amarelinha entre 2001 e 2010.

Atualmente com 41 anos, Gilberto Silva aproveita a aposentadoria e as portas que o futebol lhe abriu. Em 2017, atuou como embaixador do Arsenal e da FIFA em vários eventos ao redor do mundo. E, mesmo distante, admite ainda ter laços fortes com o Coelho. O pentacampeão acompanhou a trajetória do bicampeonato da Série B.

Eu acompanhei de longe, mas não consegui ver todos os jogos, porque foi um ano de muitas viagens para mim. Torci muito quando pude. Independentemente do tempo que passou, sempre estou no meu canto torcendo pelo América. Fiquei muito satisfeito com o acesso, que veio de uma forma brilhante, com um título. Isso marca a história de cada jogador”, conta.

O jogador continua sendo um orgulho para a torcida americana, pois levou e honrou o nome do América por todos os lugares que passou. Para 2018, Gilberto espera que o Coelho siga crescendo cada vez mais e tenha uma boa campanha na Série A.

Espero que a temporada 2018 seja muito positiva para o América, na Série A. Torço muito para que seja o ponto inicial de uma virada, para que o América consiga se manter por mais anos na primeira divisão”, finaliza.